domingo, 24 de agosto de 2008

Eu prefiro subir quadrado... Do que descer redondo!

Eu fiquei a pensar nos crentes de antigamente - de vinte anos atrás, quando me converti.

Tínhamos prazer de ir "a Casa do SENHOR". Era o nosso lugar de adoração, de aprendizagem espiritual e de comunhão. Ali estava a nossa segunda família.

A gente orava. Orava pelos missionários, pelos campos, e orávamos uns pelos outros. Exortávamos mutuamente, pois sabíamos da importância de ser "igrejeiro", de levar a sério as palavras do profeta Isaías 56:7, "porque a minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos".

Os jovens buscavam santidade - santidade espiritual, nas amizades, santidade no namoro. Falávamos sempre em consagração ao SENHOR. Nossos corinhos falavam em sermos santos, de nos parecer com Senhor Jesus Cristo. Um de nossos textos prediletos era Efésios 4:13, "até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus,... à medida da estatura de Cristo...".

O marido crente queria ser líder espiritual, e buscava ao SENHOR para amar sua esposa, como Cristo amou a Igreja. Esforçavam-se por ensinar seus filhos, desde pequeninos, no caminho de Deus. O marido e a esposa sentavam-se na igreja com os filhos pequenos, e eles se comportavam, pois respeitavam seus pais. A esposa ansiava por ser uma idônea auxiliadora de seu marido. Elas ensinavam as mães mais novas a amarem seus maridos e a cuidar bem dos filhos e de sua casa (Tito 2:4).

Tenho saudade do tempo em que cada crente era um bereiano, que, na descrição de Atos 17:11, recebiam "a Palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram de fato assim".

Sinto falta do tempo em que nós vibrávamos quando era marcado um mutirão na igreja. Pois aquele ajuntamento para servir ao SENHOR, trabalhando juntos, comendo aqueles lanches preparados pelas irmãs
em Cristo, nos fazia lembrar a igreja primitiva, quando "todos os que creram estavam juntos, e tinham tudo em comum" (Atos 2:44).

Os irmãos de antigamente respeitavam a Bíblia, e a tinham como única regra de fé e prática. Criam, como ela mesma ensina, que as Sagradas Escrituras são a revelação completa e final de Jesus Cristo, como estabelece Hebreus 1:1-2.

E eu me pergunto: Onde estão aqueles irmãos à moda antiga? Que aconteceu com aqueles crentes que viviam segundo a Bíblia? Foram mortos através de perseguição dos inimigos da Cruz? Não, eles não foram martirizados. Eles estão sumindo, seduzidos pelo mundo, enganados pelo Diabo e derrotados pela carne.

Mas, há os remanescentes - os que não dobraram seus joelhos diante de baal. Eu quero estar no meio deles. Pois prefiro subir quadradinho para Céu, do que descer redondo e macio para o inferno.

E você?

Pr. José Nogueira

Um comentário:

Sonia disse...

Pastor,

Eu também tenho muitas saudades daquele tempo e olha que não faz tanto tempo assim,(uns 10 à 15anos).

Tenho percebido uma alteração na doutrina, como o senhor disse, as igrejas estão se curvando a baal. A licenciosidade esta tomando conta dos nossos jovens e as familias estão cada vez mais ligadas nas novelas, seriados da TV, coisas em que nada edificam.

Os cristão já não são mais diferentes, já não têm conduta diferente, esta muito difícil ser luz do mundo e sal da terra, e quando a gente coloca a posição da palavra e confronta o pecado a maioria já vem com dez pedras nas mãos chamando-nos de fundamentalistas.

Infelizmente, a igreja do Senhor Jesus está sendo engodada por modismos e sem perceber muitos irmãos vão acbar indo para o inferno.

Mas louvo a Deus porque ainda existem muitos intercessores e satanás ainda não liquidou este mundo por causa dos cristãos quadrados.

Fica na paz!

Sonia Maria Rodrigues
ÁGAPE - Ministério Evangélico de Apoio Missionário

Palmas-TO

A Bíblia só foi traduzida para 2.426 das 7 mil existentes línguas faladas no mundo.
Precisamos nos apaixonar novamente pelas Sagradas Escrituras!

Siga por Email

Cadastre seu email

Delivered by FeedBurner

Seguidores